sexta-feira, 3 de maio de 2013

"Anjos sem Asas"


Outra versão do mesmo trabalho :









"ANJOS SEM ASAS"



Este trabalho digital,   de seu título "Anjos sem Asas", foi desenvolvido durante a minha convalescença a partir de fotografias que fiz da cama 5, e  dp de passado à tela e emoldurado, oferecido à Enfermaria de Ortopedia - A, Bloco de Celas dos HUC / Coimbra .
Foi neste Serviço que estive internada e submetida a uma Prótese Total da Anca (PTA) no Verão de 2012 e, com este testemunho pretendi manifestar publicamente o reconhecimento e a gratidão pela qualidade da assistência de todos os seus profissionais .
 
 
 
 
Este foi o trabalho,  de seu título "Anjos sem Asas" que desenvolvi durante a minha convalescença e que, dp de passado à tela  e emoldurado, ofereci à Enfermaria de Ortopedia - A, Bloco de Celas dos HUC / Coimbra  . Foi neste Serviço que  estive internada e fui submetida a uma Prótese Total da Anca (PTA) no Verão de 2012 e com esta oferta pretendo manifestar publicamente  o reconhecimento e a gratidão pela  qualidade da assistência de todos os seus profissionais  .
 
 
 
 
 

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

"Pensar com os Pés"

 
 
Integrado na Exposição Coletiva de Natal no Restaurante Nacional, ao Arnado, Coimbra, encontra-se este trabalho pictórico, técnica mista - pintura em acrílico e colagem sobre cartão entretelado, realizado  e datado em 2012.
 
 
Trata-se de uma alusão à Cultura ou à falta dela, pela invasão avassaladora do poder do mundo do  futebol nos media e na vida do cidadão comum.
 
Tem como suporte de compreensão um Texto que o acompanha  a seguir. 

 
 
 
 
 
Pensar com os pés
 "O tema e o título têm a ver com o conceito de cultura do futebol, cada vez mais implantado, invasivo  e  globalizado,  por contraponto à ideia da cultura clássica.
 Neste pressuposto pretende-se espelhar no trabalho pictórico por um lado, a volatilidade, o vazio e a falta de cultura generalizada dos agentes e protagonistas ligados ao futebol e por outro, não obstante uma contida agressividade que lhe é transversal, a sua  interligação cada vez mais notória a figuras carismáticas do mundo da moda, a magia, a ilusão e alienação que proporciona....
 Mas estranhamente, foi Eduardo Chillida, nascido em 1924 em San Sebastian  e  falecido  em 2002 -  um dos mais famosos escultores e gravuristas modernistas espanhóis e reconhecido como um dos maiores escultores da segunda metade do século XX -  que um dia disse a Gonzalo Suárez esta frase surpreendente:    
"Que  tinha aplicado na sua escultura noções de espaço  aprendidas no futebol"
 O comentário, simplesmente espantoso, foi a minha  referência para esta composição, em que usei técnica mista: pintura a acrílico e colagem sobre cartão entretelado.
Carolina Máxima

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Na Galeria ELAPEDRA - Largo D. Dinis - Centro Histórico de ESTREMOZ, junto à Pousada Rainha Stª Isabel - VERÃO 2012


 Relação de  Pinturas e Colagens:



1 – “As Jóias da Matriarca

         Pintura a acrílico e colagem s/ madeira , com vidro e moldura de madeira. Medidas: 572 x 688 mm


 



2 – “A Cidade Azul
         Pintura a acrílico  e colagem s/ tela de grade alta . Medidas : 900 x 900 mm


 



 
3 – “Paisagem
         Desenho e pintura c/ marcadores s/ cartolina cartonada. Medidas : 290 x 345 mm   (com vidro e moldura de alumínio)







4 – “Poliedro I

         Desenho e pintura c/ marcadores s/ cartolina cartonada. Medidas : 248 x 300 mm    (com vidro e moldura de alumínio)









5 – “Poliedro II

         Desenho e pintura c/ marcadores s/ cartolina cartonada. Medidas : 294 x 300 mm     (com vidro e moldura de alumínio)




 




6 – “Poliedro III
         Desenho e pintura c/ marcadores s/ cartolina cartonada. Medidas : 314 x 314 mm    (com vidro e moldura de alumínio)

















sábado, 31 de março de 2012

Pinturas a Óleo - Referência Menez




A seguir se publicam três pinturas a óleo, realizadas entre 2008 e 2009, tendo como referência : Menez






" Ascensão "








"Lágrimas"








" O Anjo"

( Pertence a Colecção Privada )


domingo, 18 de março de 2012

Esta pintura a óleo numa tela de 1000 x 1000 mm, foi  realizada em 2008 e  pertence a uma colecção privada. É a cópia de uma pintura de Paula Rego, com o título original de " A Armadilha".

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

"O dia em que eu nasci" - Soneto de Camões


Colectiva de Natal em Dezembro no Nacional

No Nacional (na baixa coimbrã) é inaugurada no dia 3 de Dezembro, pelas 19,30 horas, uma exposição colectiva de Pintura e Cerâmica – 124ª edição de ARTE À MESA.

Artistas

ANGELINA CALIXTO
ANTÓNIO FERRAZ
CAROLINA MÁXIMA
FERNANDO COSME
JOAQUIM BAPTISTA
KHENSU
PATRICIA ROQUE
RUI CARREIRA
VICTOR COSTA

 A Mostra encerra no dia 7  de Janeiro de 2012.



Título:  “O dia em que eu nasci” – Soneto de Camões
Autora:  Carolina Máxima





Formato: Díptico – duas telas de 900 x 600 mm - Medida total: 1220 X  925 mm

A técnica : Pintura a Acrílico e colagens sobre tela


Frase:   “Cá, neste escuro cais de confusão/
              cumprindo o curso estou da natureza
              Luís de Camões


Texto do soneto que serve de base /suporte à pintura e lhe dá o título, através das suas primeiras palavras:



O dia em que eu nasci morra e pereça, 
Não o queira jamais o tempo dar, 
Não torne mais ao mundo, e, se tornar, 
Eclipse nesse passo o sol padeça.

A luz lhe falte, o sol se lhe escureça,
Mostre o mundo sinais de se acabar,
Nasçam-lhe monstros, sangue chova o ar,
A mãe ao próprio filho não conheça.

As pessoas, pasmadas de ignorantes,
As lágrimas no rosto, a cor perdida,
Cuidem que o mundo já se destruiu.

Ó gente temerosa, não te espantes,
Que este dia deitou ao mundo a vida
Mais desaventurada que se viu!

Luís de Camões

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Colagens Pinturas Geometrias

É o tema de  uma nova Exposição de Carolina Máxima, que está patente ao público  no Café com Arte - Avenida Elísio de Moura, nº. 367, em Coimbra, até 14. Novembro. 2011, constituída por 16 trabalhos pictóricos que  a seguir  se apresentam.



                                               


ROSTO VENDADO”
Pintura a acrílico e colagem s/ madeira 650 x   845 mm - 2006



  

 “  AS JÓIAS da  MATRIARCA”
Pintura a acrílico e colagem s/ madeira 572 x 688 mm - 2006








A MORTE do AMOR”
Pintura a acrílico e colagem s/ cartão  563 x  698 mm - 2011
  






“A CIDADE ÁGUA”
Pintura a pastel de óleo e colagem de balsas, cartão e  madeiras
     s/ tela  778 x  882 mm - 2005
   









A CIDADE AZUL”
Pintura a acrílico e colagem s/ tela 900 x 900 mm - 2006
   


 ....................................................................................




"Poliedro I" - 248 x 300 mm




"Paisagem" - 290 x 345 mm





"Poliedro II" - 294 x 300 mm




"Poliedro III" - 314 x 314 mm    






                                                                               
   "Círculos I"  249 x 249 mm  






"Círculos II" - 227 x 331 mm



Poliedros e Paisagem -   Desenho e pintura c/ marcadores s/ cartolinas cartonadas – 2010
Círculos -   Colagem de cartolinas s/ cartolinas cartonadas - 2010




..........................................................................................................................................................................



TERRA  de FOGO/ BOLA de SABÃO”
Pintura a acrílico s/ tela  1000 x 1200 mm  - 2010







“COSMOS II
Pintura a Óleo  s/ tela  1000 x 1000 mm  - 2009






"COSMOS IV”
Acrílico e Colagem de  cartolinas   s/ Cartão  805 x 1105 mm - 2010






"COSMOS V”
Acrílico e Colagem de  cartolinas   s/ Cartão  805 x 1105 mm - 2010







O CRUZEIRO do SUL”
Pintura a acrílico e colagem s/ tela 1000 x 1000  mm - 2010
   



Tenho o prazer de sugerir aos meus amigos que  provem  no Café Com Arte um aromático ou exótico chá da Carta Especial que lá existe  ou, e porque não (?), um delicioso chocolate quente! Ainda está  calor, mas  sabe bem a frescura que a esplanada oferece ao fim da tarde!





domingo, 18 de setembro de 2011

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Arte à Mesa - Restaurante Nacional, 19,30 - 10.Setembro.2011

É inaugurada Sábado, pelas 19,30 h, no Restaurante Nacional - Arte à Mesa -  uma Exposição de Pintura de Carolina Máxima. A mostra, que tem dois módulos: " O Círculo e Movimentos Circulares" e "Meias e Moscas e Alguns Rostos", compreende 14 pinturas com diferentes técnicas pictóricas -  óleo, acrílico, colagem.
Encerra  a 08.Outubro.2011.
http://www.facebook.com/pages/Arte-%C3%A0-Mesa/274468069235943?sk=wall

terça-feira, 2 de agosto de 2011

14 Pinturas - Exposição Hotel D. Luís / Maio 2011 - Referido o evento na AGENDA CULTURAL de Coimbra - 2º Trimestre 2011

"O CRUZEIRO DO SUL"
Acrílico e colagem s/ Tela 1000 x 1000 mm

"GALÁXIA II"
Acrílico s/ Tela 1000 x 1000 mm

"COSMOS II"
Oleo s/ Tela  1000 x 1000 mm

"COSMOS I "
Óleo s/ Tela 1200 x 600 mm
( Pertence actualmente à Colecção HOTEL D. LUÍS, Coimbra)

"COSMOS III"
Acrílico s/ Tela 1000 x 1000 mm

"GALÁXIA I "
Acrílico s/ Tela 1200 x 1000 mm

"COSMOS IV"
Acrílico e Colagem cartolinas s/ Cartão 1105 x 805 mm

"COSMOS V"
Acrílico e Colagem cartolinas s/ Cartão 1105 x 805 mm

"TERRA DE FOGO / BOLA DE SABÃO"
Acrílico s/ Tela 1200 x 1000 mm

"MEIAS e MOSCAS"
Acrílico s/ Tela  1055 x 600 mm

"ROSTO DE MULHER c/ VÉU"
Acrílico s/ Tela 1200 x 800 mm

"ROSTO DE MULHER c/ BRINCOS"
Acrílico s/ Tela 1200 x 800 mm

"ROSTO DE MULHER c/ REDE " I
Acrílico e Colagem Tecido  s/ Tela 1200 x 800 mm

"ROSTO DE MULHER c/ REDE" II
Acrílico e Colagem Tecido s/ Tela 1200 x 800 mm

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Exposição em Setembro / Restaurante NACIONAL, em Coimbra

Referido o evento, com a reprodução da imagem do quadro principal, na AGENDA CULTURAL de Coimbra - 3º. Trimestre 2011




Atenção,é anunciada  e comentada neste site a Exposição referida, que vai acontecer em 2011.


http://onlinebackupv.posterous.com/arte

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Perdi as Asas

 Projecto Mercadoria Humana       

Autor: Carolina Máxima

Data: Abril de 2011
Dimensões: 700 x 350 x 200 [mm]

Suporte: Manequim infantil masculino em material polimérico
Técnica Utilizada: Transfer e pintura em acrílico, com acabamento de verniz cola.
Entidade Participante: Escola Universitária das Artes de Coimbra – EUAC/ARCA

Memória Descritiva:

Técnica Mista:

Na peça apresentada utilizou-se, para alem da pintura em acrílico, a técnica de transfer que consiste na transferência para o suporte - que deve ter uma base de tinta de cor clara e estar completamente seca - de imagens previamente selecionadas, mediante a aplicação, de forma constante e uniforme de um produto químico especial sobre o suporte recetor e na superfície de papel da imagem a transferir. Depois de pressionadas uma contra a outra, deixa- se secar completamente. Neste processo as imagens são impressas e apresentam-se reflectidas em espelho. Na finalização do trabalho é necessário remover o papel da impressão com uma esponja húmida.


Simbologia:
………………………………………………………………………………………………………………………….
“E as minhas asas brancas,
Asas que um anjo me deu,
Pena a pena, me caíram…
Nunca mais voei ao céu.”

(Última estrofe do poema “As minhas asas brancas” de Almeida Garret)

Quem Sou?




Carolina Máxima



Natural de  Arcos,  Anadia 
Licenciada em Direito pela Universidade de Coimbra

Frequência do Curso de Desenho e Pintura na Universidade Vasco da Gama -  2002 a 2004
Freq.ª da Oficina de Desenho Pintura / Espaço Arte - Prof. António Valente - 2005 a 2006
Curso Livre de “ Atelier de Pintura a Óleo” - ARCA EUAC -  Prof. João Dixo  - 2007/2008
U. Curricular “Atelier de Artes Plásticas III e IV ”– ARCA EUAC - 2008/2009
U. Curricular “Atelier de Artes Plásticas  V e VI” – ARCA EUAC - 2009/2010
Frequência de  Curso Livre de Pintura - ARCA EUAC – Prof. João Dixo  -  2010/2011




Exposições Individuais:

2006 - Restaurante Nacional, Coimbra
2011 - Hotel D Luís, Coimbra
2011 - Restaurante Nacional , Coimbra
2011 - Café com Arte, Coimbra


Exposições Colectivas:

1961 – Galeria do Turismo,  Coimbra
2004 – Universidade Vasco da Gama
2005 – Galeria do Clube da Ordem dos Médicos
2006 – Galeria do Clube da Ordem dos Médicos
2006 – Restaurante Nacional, Coimbra
2007 – Galeria da Câmara Municipal de Porto de Mós
2007 – Galeria da Câmara Municipal  Figueiró dos Vinhos e Restaur. Nacional, Coimbra
2008 – Ordem dos Advogados, Coimbra
2010 – ARCA – EUAC / Escola Universitária de Artes de Coimbra e Restaurante Nacional
2011 – ARCA – EUAC / Escola Universitária de Artes de Coimbra



Outras Participações:

2011 – Intervenção Plástica sobre suporte em material Polimérico / Manequim infantil masculino
           para Exposição Itinerante de Manequins
           Técnica Mista : Transfer e pintura em acrílico, com acabamento de verniz cola.
           Título da Obra: “ Perdi as Asas”
           Organização: Saúde em Português
           Projecto de Sensibilização em Tráfico de Seres Humanos

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Cruzeiro do Sul







O quadro representado na imagem intitula-se “O Cruzeiro do Sul”. É uma tela de 1000 x 1000 mm, técnica mista:  pintura a acrílico e colagem.

Foi o último de um conjunto de trabalhos realizados em 2009/2010 que têm um tema de referência comum: O Círculo e Movimentos Circulares e que constituem a maioria das pinturas apresentadas nesta mostra.

Nele se pretendeu espelhar a referida constelação como um símbolo de Astronomia e ao mesmo tempo homenagear os navegadores portugueses e Luís de Camões, que, cantando os seus feitos lhes atribuiu a descoberta de “novos mundos, novas terras e novos céus”.

Partindo da estrofe 14 do Canto V de Os Lusíadas, dedicada a O Cruzeiro do Sul, procurei criar uma atmosfera nocturna e cósmica em termos pictóricos, em que essa constelação fosse o motivo central da pintura. Sendo constituída por quatro estrelas em forma de cruz e ainda de uma quinta, apelidada de Intrometida, aparece contemplada na forma de uma Cruz de Cristo, porque era este o símbolo usado como pavilhão naval português ao tempo do reinado de D. Manuel I . Na procura de um universo mágico envolvi ainda a constelação e a Cruz de Cristo  numa esfera de luz, relacionando-o com as esferas celestes de Ptolomeu  e o episódio da Máquina do Mundo.

O motivo inspirador desta série de trabalhos está num quadro de Kandinsky “ Alguns Círculos ”, uma pintura datada de 1926, óleo sobre tela de 1403 x 1407 mm que pude apreciar no Centro Pompidou em Paris, em Julho de 2009, quando ali foram exibidas uma centena de telas de grande formato realizadas pelo grande pintor russo entre 1907 e 1942.

Por contraposição às formas geométricas diversas e planas que povoaram o seu maravilhoso imaginário e habitam as suas telas, procurei explorar a noção de volume, cor e luz em composições que, adoptando como tema base “O Círculo e Movimentos Circulares” e utilizando diferentes técnicas pictóricas, pretenderam assumir e respirar um ambiente predominantemente cósmico. 

A escolha do tema neste contexto foi influenciada também pelo facto de o ano de 2009 ter sido declarado pela Organização das Nações Unidas o Ano Internacional da Astronomia. Várias iniciativas do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra (palestra “Hoje Nasceu Galileu” pelo Prof. João Fernandes, Comissário para o Ano Internacional de Astronomia; curso de formação “O Caso Galileu: Os factos, os Documentos, a Polémica” leccionado pelo Prof. Henrique Leitão; ciclo de conferências “Camões, o Céu e a Terra”) estiveram na origem das motivações que me conduziram à  experimentação, à execução e à  sequência de grande parte destes trabalhos pictóricos.

O “Cruzeiro do Sul”, cujo nome oficial actual é simplesmente Crux, é uma constelação, a menor de todas as 88 existentes na esfera celeste (assim definidas oficialmente em 1930 pela União Astronómica Internacional) situa-se no Hemisfério Sul, é a mais conhecida nos países ao sul da linha do Equador e também a que fica mais próxima e indica a orientação do Pólo Sul Celeste.

A primeira referência documentada às suas estrelas encontra-se registada numa carta datada de 1 de Maio de 1500, enviada ao rei D. Manuel por Mestre João de Faras, o Astrónomo Oficial do Rei na Armada de Pedro Álvares Cabral. Terá sido avistada pela primeira vez pelos portugueses e é assim que é cantada por Camões.

A estrela mais luminosa é a que fica no ponto inferior do braço maior da cruz, tem o nome de “Magalhães” e aponta a direcção do Polo Sul.


Adicionar legenda







Coimbra, Abril de 2011

Carolina Máxima 
(carolinamaxima@gmail.com)